melhores investimentos na bolsa de valores
Mais

Ações que Mais Pagam Dividendos

No mercado financeiro e no mundo empresarial lucro é o que importa. Antes de comprar qualquer ação em Bolsa de Valores, é fundamental analisar os fundamentos da empresa com atenção especial aos lucros obtidos. E o lucro de qualquer empresa só tem dois caminhos possíveis: reinvestimento na própria empresa para fomentar o crescimento da mesma ou distribuição aos acionistas através de dividendos ou juros sobre o capital próprio (JSCP). O objetivo deste post é apresentar as ações negociadas na Bolsa de Valores do Brasil e suas respectivas distribuições de lucro no ano passado. Este artigo tem o caráter meramente informativo e por isto não deve ser encarado como material de recomendação. A intenção é apenas listar as empresas que mais pagam dividendos e JSCP na Bolsa de Valores brasileira.

Proventos são parte do lucro das empresas distribuídos periodicamente aos acionistas. Geralmente, empresas que são boas pagadoras de dividendos e JSCP estão em estágio de crescimento avançado, não necessitando de muitos investimentos para financiar sua expansão. Assim, tendem a distribuir uma parcela maior de seu lucro sob a forma de dividendos.

Essas empresas também têm como característica comum o fato de serem líderes de mercado além de atuarem em segmentos com demanda estável ou com baixa concorrência. Por essas razões, suas ações não sofrem como aquelas mais influenciadas pelo ambiente macroeconômico e tendem atrair mais investidores em momentos de baixa da Bolsa.

Por terem, em geral, baixa necessidade de reinvestimento no negócio, são empresas mais defensivas e que conseguem repassar boa parte dos lucros aos acionistas. As boas pagadoras de dividendos costumam se concentrar em setores de utilidade pública, como saneamento, energia e telefonia, bem como nos setores financeiro como cartão de crédito e de consumo não cíclico como fabricantes de bebidas alcoólicas e cigarros.

Dividendos e JSCP

O estatuto social de uma empresa deve especificar um percentual mínimo do lucro líquido que deve ser pago aos acionistas a título de dividendo mínimo obrigatório, que pode também ser pago sob a forma de juros sobre o capital próprio.

A Lei das Sociedades por Ações permite, entretanto, que os acionistas de uma companhia suspendam a distribuição do dividendo mínimo obrigatório, caso o conselho de administração informe à assembléia geral que a distribuição é incompatível com a condição financeira da companhia.

Os lucros não distribuídos em razão da suspensão na forma acima mencionada serão destinados a uma reserva especial e, caso não sejam absorvidos por prejuízos subsequentes, deverão ser pagos, a título de dividendos, tão logo a condição financeira da companhia assim o permita.

O dividendo mínimo obrigatório pode ser pago também a título de juros sobre o capital próprio, tratado como despesa dedutível para fins de imposto de renda de pessoa jurídica e de contribuição social sobre o lucro líquido.

Devido a Lei das Sociedades por Ações a empresa deve a realizar assembleia geral até o quarto mês subsequente ao encerramento de cada exercício social na qual, entre outras matérias, os acionistas deverão deliberar sobre o pagamento de dividendos do exercício social encerrado.

acoes pagadoras de dividendos

Data ex-Dividendos

A data ex-dividendos é a data na qual o detentor de uma ação perde direito aos dividendos anunciados. Para você ter direito de receber os dividendos e/ou juros sobre capital próprio de uma empresa, precisará iniciar o dia determinado como ex-dividendos com as ações em sua carteira.

Só terá direito a receber os dividendos e/ou JSCP quem iniciar o dia determinado como ex-dividendos com as ações na carteira, se você ficou um determinado tempo com as ações em sua carteira, mas não as possuir na data determinada não terá direito a receber.

Data com-Dividendos e Ajuste das Cotações

O investidor iniciante pode comprar uma ação antes da data ex-dividendos imaginando que existe cafezinho grátis no mercado, ou seja, que ficarão com as ações mais os proventos sem haver desconto após o a data com-dividendos (último dia para adquirir a ação e ter direito a receber os proventos).

Este é um erro de interpretação cometido pelos investidores iniciantes. O valor dos proventos será descontado na cotação da ação. Por exemplo, suponhamos que a companhia anuncie que pagará dividendos de R$ 1 por ação e que a partir do dia 18 de janeiro a ação passará a negociar ex-dividendos. Se no dia 17 o preço da ação fechar a R$ 10, a ação abrirá o pregão do dia 18 sendo cotada a R$ 9, descontando-se o dividendo anunciado de R$ 1.

O patrimônio do acionista permanece intacto: Se no dia 17 ele possuía 100 ações cotadas a R$ 10 no fechamento do pregão então ele detinha um ativo de R$ 1.000. Já no dia 18 o patrimônio continuará sendo R$ 1.000, equivalente a R$ 900 em ações na abertura do pregão e R$ 100 de crédito a receber na data de pagamento anunciada pela empresa.

O ajuste da cotação é realizado porque as ações valem menos após a distribuição de dividendos. Contabilmente, o patrimônio líquido é reduzido pela distribuição de dividendos. Quanto a valores de mercado, se o preço é o valor presente dos fluxos de caixa futuros, deve haver mesmo uma queda no preço.

Dividend Yield x Payout Ratio

Dividend Yield

Dividend Yield, abreviadamente DY, significa rendimento do dividendo. É um índice criado para medir o retorno em proventos de uma empresa em relação ao preço de suas ações.

É calculado através da razão entre os proventos por ação e o preço unitário das ações. É importante lembrar que um Dividend Yield alto não garante que a empresa está pagando grandes dividendos é preciso avaliar se a ação está muito desvalorizada.

O cálculo do DY é muito simples, se você comprou uma ação por 10 reais e recebeu 1 real de dividendos, então o Dividend Yield deste papel na sua carteira é de 10%.

Payout Ratio

O percentual dos lucros que a empresa distribui em proventos é chamado de Payout Ratio. Se uma empresa tem um Payout de 50% significa que ela distribuiu 50% do seu lucro. O cálculo é realizado através da divisão do valor distribuído em um período pela empresa pelo valor do lucro da empresa naquele período.

Há casos de encontramos empresas com Payout de maior que 100%. Isto significa que a empresa distribuiu todo o lucro e mais um pouco. Casos assim podem ocorrer quando uma empresa deixa de pagar dividendos em um ano e paga mais no ano seguinte, ou quando a empresa tem um resultado ruim mas mantém a mesma distribuição de dividendos utilizando dinheiro de reservas financeiras.

Há casos também de empresas cujo Payout é negativo. Isto significa que no período da distribuição dos proventos o lucro acumulado da empresa era negativo.

Ações Pagadoras de Dividendos em 2017

Este artigo é meramente didático e não caracteriza qualquer tipo de recomendação de compra. Foi elaborado a partir da análise das companhias de capital aberto da Bolsa de Valores de São Paulo. É importante salientar que escolher empresas tendo por base apenas o indicador Dividend Yield é um grande erro. Portanto, encare este relatório de ações pagadoras de dividendos apenas como um ponto de partida para uma análise mais profunda das empresas de interesse. A tabela abaixo contempla a relação de todas as ações negociadas na B3. Para montar esta tabela coletei os proventos (dividendos e JSCP) anunciados pelas empresas no ano de 2017. A coleta foi realizada no site GuiaInvest. O Dividend Yield foi calculado de acordo com a cotação em 10/01/2018.

Ações Pagadoras de Dividendos para 2018

A consultoria financeira Economatica divulgou recentemente um levantamento das 16 ações candidatas a pagarem bons dividendos em 2018. No topo do ranking, aparecem os papéis da Eztec, representante de um setor não muito conhecido por essa característica, mas que, segundo a consultoria, tem um dividend yield projetado para o final desse ano de impressionantes 17,38%. Além da Eztec, destaque para outras 5 ações que devem ter um dy superior à taxa Selic, que, segundo o último relatório Focus, deve fechar 2018 em 6,75% ao ano. São elas: Multiplus (9,48%), SLC Agrícola (8,31%), Copel ON (8,25%) e Engie (7,65%).

O cálculo leva em consideração o preço da ação no último dia do ano passado e o mesmo volume de dividendos e juros sobre capital próprio distribuído pela ação no ano de 2017.

O ranking elaborado pela consultoria leva em consideração apenas papéis com volume financeiro médio diário superior a R$ 500 mil por dia; empresas que tenham registrado lucro em 2016 e nos nove primeiros meses de 2017; que o lucro do acumulado dos nove meses de 2017 seja, pelo menos, 75% do lucro registrado em 2016 (a empresa deverá atingir lucro em 2017 igual ou superior a 2016); que a política de dividendos e juros sobre capital próprio em 2018 seja equivalente ou superior a de 2017; e ação que tenha distribuído dividendos ou juros sobre capital próprio em 2017.

acoes de dividendos para 2018

Segundo reportagem do jornal Gazeta do Povo, 2018 vai trazer uma ótima perspectiva de lucro para quem investe em ações de empresas que costumam remunerar bem seus acionistas. As empresas pagadoras de dividendos listadas na bolsa devem ter um aumento de 15% no pagamento de dividendos em relação a 2017, podendo passar dos R$ 100 bilhões. A razão para isso é que, na segunda metade de 2017, houve uma melhora significativa nos resultados das empresas, consequência da redução da taxa de juros, da recuperação (ainda que tímida) da economia e do aumento de algumas commodities importantes, como o minério de ferro.

A projeção feita pelas investidoras Guide e Itaú BBA leva em conta o crescimento de 40% dos dividendos em 2017 (que devem ser pagos até o mês de março), depois de uma queda forte em 2015, que foi de 20%, e de uma também em 2016, de 2%. Porém, ter tido bom desempenho não significa, necessariamente, que as empresas vão reverter esse lucro para os acionistas. Essa decisão vai ser pautada na necessidade de reinvestimento de lucro em novos projetos da empresa. Portanto, não existe uma linearidade na relação lucro e dividendo. Não necessariamente quem teve mais lucro vai pagar mais. Para as empresas em expansão, a regra tende a ser investir mais nelas mesmas e não em distribuição de dividendos.

Alguns setores são, historicamente, bons pagadores de dividendos, como o de energia elétrica e bancos. Porém, podem não ser os melhores pagadores de lucros em 2018, ou pelo menos, não ter tanto destaque. Uma aposta para 2018 é setor de programas de fidelidade. Outros setores citados pelos analistas são os setores de consumo básico, materiais, transporte e logística e energia e saneamento. Para o investidor, o ideal é ter uma carteira de dividendos diversificada, não só entre diferentes setores, mas com várias empresas de um mesmo setor. Assim, é importante não concentrar apenas em um dos setores apontados pelos estrategistas, mas apostar na diversidade para garantir o recebimento de dividendos.



Como Escolher Ações de Dividendos para Gerar Renda Passiva

O Value Investing é um modo ortodoxo de investir na bolsa de valores, sempre com o objetivo de longo prazo, através da análise fundamentalista das melhores empresas – aquelas capazes de atravessar as piores crises políticas e econômicas – as que justamente geram grandes oportunidades para os investidores conscientes que, entre outras qualidades, são disciplinados que exercitam a paciência.

As empresas mais sólidas do mercado financeiro operam em atividades perenes, pouco sujeitas à ação de concorrentes diretos e de revoluções tecnológicas. Elas trabalham com considerável margem de lucro, tendo gestão eficiente, crescimento gradual e constante. E o melhor: elas dividem parte de seus rendimentos com os acionistas minoritários, justamente na forma de dividendos e juros sobre o capital próprio.

Existem empresas que pagam dividendos uma vez ao ano. Outras empresas pagam dividendos semestrais ou trimestrais. Algumas pagam os dividendos mensalmente. Conforme o montante que se aplica na compra de ações, é possível obter retorno anual de 9, 12, e até 18% sobre capital investido. Um valor mínimo de referência para tal retorno seria de 6% no Dividend Yield.

Existem centenas de empresas listadas na bolsa de valores. Encontrar as melhores oportunidades de investimentos é uma tarefa complexa, diante da variação constante do mercado financeiro. Uma boa oportunidade de compra hoje poderá não ser interessante no dia seguinte. É preciso contar com fontes de informações confiáveis – e filtradas – para tomar a decisão correta.

Poucas casas de consultoria em investimentos trabalham com o foco em Value Investing. A Suno Research nasceu para ser a principal referência neste segmento. Ao fazer uma Assinatura Premium com a Suno, você terá acesso a relatórios focados na obtenção dos melhores ativos que geram dividendos. Os dividendos são os frutos da independência financeira. Saiba mais sobre dividendos no Guia Completo sobre Dividendos elaborado pela Suno clicando na imagem a seguir.

acoes de dividendos

16 comments

  1. Uó,

    Muito bom o seu post, bem didático e muito útil para mim.
    Apesar de investir em FIIs há anos, somente agora decidi que é o momento de entrar no mercado de ações, primeiramente com EFTs e talvez BBDC e ITUB.

    Uma dúvida off-topic: qual é a sua opinião sobre a CVM proibir fundos de investimento de trabalhar com criptomoedas? Isso seria um passo para a posterior criminalização das criptos no país, já que há um projeto para isso?
    Em minha opinião essa é uma péssima notícia, pois deixa o país ainda mais atrasado do que já está, atrapalhando as corretoras e os investidores que tem interesse em criptos através delas de conseguir melhores retornos aos seus investimentos. Risco há também em ações, FIIs, COEs, não é?

    Abraços,

    1. Olá Rosana, fico feliz do post ter ajudado um pouco.

      Sobre a questão da CVM, não vejo como um passo para a criminalização, para os investidores representa uma opção a menos de investimento, mas a CVM está apenas sendo CVM, isto é, regulando. Até demorou, mas foi só grandes fundos começarem a cogitar a hipótese para ela se mexer.

      A grande questão é que o mercado de criptos ainda é muito novo e ninguém entende direito, um mercado muito difícil de regular, e isto assusta os reguladores. Ainda estamos em meio a uma onda altamente especulativa, e isto complica mais ainda, mas quando a poeira baixar vão sobrar só as criptos que realmente agregam algum valor, e a partir deste momento as entidades estarão mais seguras. Assim eu penso.

      Abraço!

  2. Muito bom! Complementando oq o anonimo das 13:11 e o leandro falaram: eu li essa reportagem do guru, e me causou esteanheza o fato dele enfatizar que BBAS valorizou 100% em X tempo. Isso porque se alguem enfatiza os dividendos é contraditorio mencionar qualquer valorizacao na medida em que a valorizacao irá piorar o seu retorno/yeld.
    Dessa forma, se uma empresa boa em retorno/yeld subiu 100% significa que ela ficou cara pois meu propósito é o alto retorno em relacao ao seus dividendos distribuidos e nao a sua valorizacao. Ou seja, nao compensa mais comprar BBAS.
    Exemplo: se BBAS a R$15,00 distribuía R$1,50/ano, agora o retorno diminuiu se ela vale R$30,00.
    Nesse caso, se meu propósito é ter um excelente retorno nos dividendos, nao compensaria nesse momento adquirir bbas.

    E aí??!! Contraditório’p, nao?

    1. Com certeza não compensaria comprar agora, eu mesmo já coloquei as minhas à venda por R$ 29,92, rs
      Abraço!

  3. mas só um comentário: isso foi o dy do ano de 2016 o ideal seria calcular um dy médio de 15 anos no mínimo porque um único ano isolado não quer dizer nada. E ainda tem o preço de compra, tem gente que tem o dy melhor e outros o dy pior mesmo os dois tendo feito a compra em 2016 devido ao preço que pagaram. Quem comprou em janeiro de 2016 seguramente tem um dy melhor q isso ai de cima.

    1. Olá Leandro,

      O DY isolado não quer dizer nada, mesmo considerando um período de vários anos. Isto que tentei deixar claro neste post. Esta relação de empresas assim como o ordenamento em forma de ranking é meramente informativo. Só serve como um ponto de partida para estudos mais profundos.

      Com certeza quando mais barato maior o DY, mas foi a melhor simplificação que achei, calcular o DY para todas na data de hoje.

      Abraço!

  4. Faz todo sentido o que você falou.

    Veja bem.

    Indagado sobre sua carteira, Barsi respondeu que a maior parte de sua carteira está em klabin, santander, bco do rbasil, taesa, cemig, eletropaulo, eletrobrás, geradora tietê, eternit e unipar carbocloro, sendo que a maior posição está na klabin (Fonte: “A maior aposta de Luiz Barsi na Bolsa e outras 10 ações que estão em sua carteira – InfoMoney – http://www.infomoney.com.br mercados/acoes-e-indices/noticia/6032769/maior-aposta-luiz-barsi-bolsa-outras-acoes-que-estao-sua).

    Das “Top 10” distribuiidoras de altos dividendos, o “Guru” menciona apenas 2 empresas.

    sucesso a todos

    1. Tem que se tomar cuidado com o que os gurus falam, tem que se interpretar corretamente.

      Dividend yield e payout ratio altos em si não quer dizer muita coisa, é necessário fazer uma análise mais profunda de todos os múltiplos fundamentalistas. O importante mesmo é investir em empresas com, boa governança, bom management, interesse alinhados de controladores e gestores, setor favorável, e acima de tudo: lucros crescentes ao longo dos anos.

      Se a empresa irá distribuir pouco ou muito lucro não deveria ser fator de escolha, e sim a geração de valor é que importa. Com cuidado especial para a alavancagem.

      Abraço!

  5. Embora eu seja acionista da klabin, é pelas consideracoes expostas nesse post (dentre outras) que considero o Barsi um baita …. homem contraditório quando relaciona klabin com altos dividendos.
    Abraco e parabens pelo trabalho!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.